Coronavírus: 10 perguntas frequentes

Vírus já matou mais de 180 mil pessoas no mundo desde dezembro de 2019
por Thieny Molthini03/04/2020

Desde a confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil, em 26 de fevereiro deste ano, o Brasil já acumula mais de 45 mil casos e 2.900 mortes em decorrência do vírus, segundo dados do Ministério da Saúde. Nesse período, o que também cresceu foram as dúvidas sobre o assunto e supostas curas.

Separamos 10 dúvidas frequentes e a verdadeira resposta de cada uma delas.

1. Como o coronavírus surgiu?

O coronavírus faz parte de uma família de vírus já bastante conhecida entre os cientistas. “O SARS-CoV-2 é uma variação destes vírus que inicialmente eram presentes somente em animais e que apareceu pela primeira vez em Wuhan, na China, em dezembro de 2019”, explica Gabriel Fialkovitz da Costa Leite, médico infectologista do Hospital das Clínicas, de São Paulo.

2. Posso pegar coronavírus pelo ar?

De acordo com o infectologista, a transmissão do coronavírus ocorre pela inalação de partículas do vírus pelo ar ou por contato com superfícies contaminadas pelos vírus seguida de contato com mucosas (olhos, boca e nariz).

“Estudos recentes sugerem que fezes contaminadas também podem transmitir os vírus”, acrescenta o especialista.

3. O que o coronavírus faz com o nosso organismo?

Em uma parcela dos casos, o coronavírus ataca as células dos pulmões levando à uma pneumonia. “Ele também invade as células das vias aéreas causando tosse e coriza”, afirma Gabriel.

Vale pontuar ainda que, em algumas pessoas, o vírus não causa sintomas aparentes, embora esteja no organismo da pessoa, são os casos assintomáticos.

4. Quais os sintomas da COVID-19?

A doença causada pelo SARS-CoV-2, a COVID-19, pode apresentar diferentes quadros. “Algumas pessoas podem ter poucos sintomas, como tosse seca, dor no corpo, febre, coriza e dor de cabeça”, explica o infectologista. “Em outras, a doença pode aparecer de forma mais grave, com pneumonia e falta de ar. Nesses casos, o paciente precisa de oxigênio ou, até mesmo, hospitalização em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).”

Atualmente, de acordo com o Ministério da Saúde, o número de óbitos pelo vírus corresponde a 3,8% dos infectados. (Esses números mudam constantemente e podem ser acompanhados aqui.)

5. Qual a temperatura de febre para ser sintoma de coronavírus?

Qualquer temperatura acima de 37,8°C, independentemente da doença, é sinal de atenção. “No entanto, se você apresentar temperaturas acima do que é usual para você, fique esperto e observe de perto com um termômetro”, ressalta o especialista.

6. Por que não devo tomar anti-inflamatórios?

“A Organização Mundial da Saúde (OMS) havia lançado um alerta contra o uso de ibuprofeno em pessoas com doença suspeita ou confirmada pelo SARS-CoV-2, no entanto essa recomendação foi retirada, já que os estudos realizados são muito conflitantes em relação aos males causados pelo uso dessa medicação em quem tem COVID-19. O mesmo vale em relação ao uso de corticoides, ainda não sabemos se ele faz bem ou mal às pessoas com essa doença”, explica o médico.

7. Tomar bebidas quentes (como chá) mata o coronavírus?

“Cuidado com as fake news! O vírus “se esconde” dentro de células e não será uma bebida quente que o matará”, afirma o infectologista.

8. Fazer gargarejo com água morna, sal e vinagre previne coronavírus?

Segundo o especialista, o gargarejo não previne nenhuma doença viral.

“O que previne a contaminação pelo coronavírus é o isolamento social, a higienização das mãos, a etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz ao espirrar ou tossir), manter os ambientes arejados e não compartilhar objetos pessoais”, acrescenta.

9. Por que as autoridades têm recomendado que todos fiquem em casa?

Gabriel explica que a recomendação de isolamento social, ou quarentena (como ocorre em algumas cidades) tem como objetivo evitar um pico de infecções, porque, se isso acontecer, os serviços de saúde não vão conseguir fazer o atendimento de todos os infectados. “Se todos evitarem sair de casa, esse pico não vai acontecer e as infecções vão ocorrer em menos pessoas e de maneira mais lenta, possibilitando o atendimento a todos”, orienta.

10. Coronavírus não sobrevive em temperatura acima de 26ºC?

“Outra fake news”, salienta o médico. “No próprio corpo humano ele sobrevive a temperaturas de cerca de 36°C, onde, inclusive, eles se multiplicam e se disseminam”, conclui.